Nossos familiares de gerações anteriores e ainda hoje muitas pessoas argumentam que apanhavam de cinta, chinelo, espada de São Jorge e hoje estão educados e formados.

boy, face, slap - Shutterstock Photographee.eu

Sim, mas antes não se sabia tanto sobre os transtornos mentais que as famosas palmadas podem gerar.

Não é à toa que desde 2014 entrou em vigor a Lei da Palmada. Essa Lei proíbe qualquer tipo de agressão às crianças. E não é uma questão de superproteção ou de “passar a mão na cabeça” como dizem alguns, mas sim de entender os reflexos psicológicos que isso pode causar.

girl, slap, sad - Shutterstock Alfira

O Journal of Family Psychology publicou uma pesquisa realizada na Universidade do Texas e de Michigan nos Estados Unidos que comprovou que crianças que levam “surra” podem desenvolver comportamentos antissociais e agressivos.

Outros estudos, como o que foi realizado pela psicóloga Elizabeth Gershoff por mais de 20 anos constatou que há uma ligação estreita entre crianças que apanham e isolamento social, agressividade e doenças físicas e mentais.

boy, slap, fear - Shutterstock Karen H. Ilagan

Outro estudo da Universidade de Manitoba, no Canadá, com mais de 34 mil adultos identificou que os que sofreram algum tipo de agressão na infância tiveram maior tendência para doenças de peso, osseas e cardíacas.

Além dos problemas de saúde, qualquer tipo de agressão às crianças pode gerar sentimentos de injustiça e mágoa constante dos pais, assim como afastamento da família e dificuldades para comunicação, dificuldades para lidar com relações de poder e hierarquia ao longo da vida, baixa autoestima, dificuldades para lidar com ordens, baixa tolerância à frustração, personalidade intolerante e agressiva, além dos diferentes tipos de transtornos psicológicos que podem ser desencadeados por esse tipo de educação.